Sábado, 19 de Setembro de 2020
89 994161886
Cidades Suspeita

Piauí tem 1ª morte suspeita por síndrome inflamatória associada à Covid-19

No Piauí, essa síndrome, que é rara e pode levar à morte, já foi diagnosticada em três crianças e adolescentes de Teresina.

14/08/2020 18h50
Por: Cirano Sousa Fonte: Cidadeverde.com
Piauí tem 1ª morte suspeita por síndrome inflamatória associada à Covid-19

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) investiga a primeira suspeita de morte em decorrência das complicações da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), que está associada à Covid-19. A paciente tinha 18 anos, estava internada no Hospital da Universidade Federal do Piauí (HU  UFPI) e faleceu nesta sexta-feira (14). 

No Piauí, essa síndrome, que é rara e pode levar à morte, já foi diagnosticada em três crianças e adolescentes de Teresina, com idades entre sete meses a 16 anos. Elas estão internadas em hospitais de Teresina, incluindo o  Hospital Infantil Lucídio Portela. Os sintomas mais comuns da SIM-P são febre alta e persistente, lesões na pele e na boca, diarréia, dores abdominais e náuseas. 

"Um evoluiu (nesta sexta-feira) para óbito, mas isso é uma suspeita. Nós colhemos o material, o hospital colheu o material, para que a gente realmente constate a efetividade do caso", esclarece a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), da Sesapi (Secretaria Estadual de Saúde), doutora Amélia Costa. 

Até julho deste ano, segundo dados do Ministério da Saúde, foram registrados 71 casos da síndrome e três mortes no Brasil. 

Amélia Costa fala sobre o protocolo para diagnosticar e tratar a síndrome. "Nós estamos trabalhando os profissionais para que eles percebam se existe a possibilidade dessa associação (entre a síndrome e a Covid-19, identificando os sintomas clínicos) porque, geralmente, a gente conheceu a síndrome por conta da Covid. Os médicos vão acompanhar e solicitar os exames. O que nós também estamos tentando organizar, que precisamos do apoio do Ministério da Saúde, é com a medicação".

Medicação 

O Ministério Público Federal (MPF) informou que o Ministério da Saúde "se comprometeu a emitir nota informativa para prever o uso da imunoglobulina humana no tratamento da síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (SIM-P) associada à Covid-19".  Esse medicamento, de acordo com o MPF, é "caro, de difícil aquisição e está em falta no mercado mundial, pois é utilizado para tratamento de diversas doenças". 

A coordenadora da Sesapi ressalta que  várias medicações são disponíveis da Farmácia de Medicamentos Excepcionais, sendo que a imunoglobulina humana também é distribuída pelo setor assistencial do Ministério da Saúde.  

"Nós estamos no aguardo dos exames mais complexos e da imunoglobulina", diz a médica, acrescentando que até a chegada da imunoglobulina, que é mais eficaz, a doença está sendo tratada com remédios mais comuns. 

Aquisição da imunoglobulina

O MPF destaca que "os técnicos do Ministério da Saúde informaram que há pregão emergencial para a compra de 50 mil doses da imunoglobulina humana em fase final. A quantidade seria suficiente para atender à demanda do país pelos próximos dois meses, incluindo pacientes com SIM-P".  

Nota Informativa

O MPF também divulgou, após reunião entre os representantes do MPF e do Ministério da Saúde na quinta-feira (13), que "a edição da nota informativa permitiria, inclusive, que os estados que já usaram o medicamento para tratar a síndrome possam justificar a utilização".

"Segundo os representantes do Ministério da Saúde, não é necessário criar ou alterar protocolos neste momento devido ao tempo que seria necessário para sua conclusão. É suficiente uma nota informativa prevendo o uso do medicamento nessas situações e indicando a dose. Solução similar já foi adotada antes, no surto de chikungunya, doença que pode desencadear a síndrome de Guillain-Barré", diz o MPF.

Veja nota da Secretaria de Saúde

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informa que uma criança de 18 anos morreu, no Hospital Universitário da UFPI, com suspeita de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica. Ela é de Tuntum-Maranhão. 

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde(CIEVS), da Sesapi, foi notificado, exames foram colhidos e o caso encaminhado para o Ministério da Saúde. A confirmação só após o resultado dos exames realizados.

No Piauí , quatro casos suspeitos de crianças que estão internadas estão sendo investigados pelo CIEVS.

Ele1 - Criar site de notícias