Sexta, 30 de Julho de 2021
89 994161886
Geral Paraná

Atendimento a vítimas de abuso sexual será mais rápido no Oeste

Vítimas serão encaminhadas ao Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop) logo após registro do boletim de ocorrência. No próprio hospital o l...

20/07/2021 16h00
Por: Cirano Sousa Fonte: Secom Paraná
© UNIOESTE
© UNIOESTE

O Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop), vinculado à Unioeste, e o Instituto Médico Legal de Cascavel definem mudanças no fluxo de atendimento às vítimas de abuso sexual. As pessoas serão encaminhadas ao Huop logo após registro do boletim de ocorrência, e no próprio hospital o laudo pericial também será realizado pelos médicos legistas do IML. A iniciativa vai reforçar o atendimento humanizado.

Em visita ao Huop nesta segunda-feira (19), o diretor do Instituto Médico Legal do Paraná, André Ribeiro Langowski, disse que a iniciativa evitará que as vítimas se desloquem a mais de um local e se exponham mais uma vez. “Esse fluxo visa um atendimento mais humanizado e garante a assistência necessária”, afirmou.

De acordo com o diretor, várias cidades já fizeram a mudança nesse fluxo. Ele ressalta que esse protocolo é válido para casos que tenham ocorrido em até 72 horas. “Esse é o período em que o exame consegue mais chances de vestígios para identificar o agressor e é essa a urgência da medicina legal”, explicou Langowski.

O laudo pericial será realizado pelos médicos legistas do IML no hospital de referência, após a requisição que deve ser feita pela Delegacia de Polícia Civil ou delegacias especializadas. “É muito importante estabelecer esse novo fluxo. Enquanto enfermeiro, diretamente na assistência, lembro como era difícil para a vítima essa exposição. Poder minimizar isso torna o atendimento muito mais humanizado”, avalia o diretor-geral do Huop, Rafael Muniz de Oliveira.

REFERÊNCIA -O Hospital Universitário Regional do Oeste do Paraná é a unidade de referência para atendimento de vítimas de violência sexual. “Aqui a vítima recebe toda assistência necessária de uma equipe multidisciplinar, o que inclui atendimento psicológico e do serviço social”, explica o assessor técnico da Direção Clínica do Huop, Sérgio Nascimento Pereira. “O fato de fazer o laudo pericial no hospital é benéfico por ser um ambiente diferente de uma delegacia”, afirma.

Os órgãos de atendimento serão informados sobre o novo fluxo que deve ser iniciado já em 1º de agosto. “Tínhamos uma grande expectativa para que isso acontecesse, pois sabemos o quanto é difícil para quem passa por uma situação como essa precisar contar várias vezes a história. Vamos apoiar e instruir os municípios no que for necessário sobre esse novo fluxo para as vítimas”, diz a chefe da 10ª Regional de Saúde, Lilimar Regina Mori.

O secretário de Saúde de Cascavel, Miroslau Bailak, também enfatizou a importância da mudança. “É um grande resultado da humanização do atendimento nessa situação de violência. Tenho certeza que será um trabalho muito benéfico”, ressalta.

PRESENÇAS- Participaram da reunião que definiu essas mudanças a promotora de Justiça Titular da 15ª Promotoria de Cascavel, Andrea Frias; a delegada da Mulher de Cascavel, Barbara Raquel Valeski Strapasson; o presidente da Comissão de Saúde e Assistência Social da Câmara de Vereadores de Cascavel, Edson Souza; os diretores do Huop Sara Treccossi (Enfermagem), Rodrigo Barcella (Administrativo) e Alex Sandro Jorge (Pedagógico).

Ele1 - Criar site de notícias